A Campanha

O Restaura Brasil é uma campanha que mobiliza pessoas e empresas em um movimento coletivo em prol da restauração da vegetação nativa, com o objetivo de restaurar 1 bilhão de árvores no país, em 400 mil hectares até 2030. Por meio da doação de árvores, é possível aumentar a escala da restauração florestal no Brasil e avançar no combate às mudanças climáticas.

As mudanças climáticas avançam de forma alarmante, em função de um longo histórico de degradação de florestas nativas em todo o mundo. A restauração florestal é uma atividade fundamental no combate às mudanças climáticas, influenciando diretamente a produção de serviços ambientais, como a estabilização climática, o abastecimento de água, além da manutenção da biodiversidade.

No Brasil, existe um déficit de vegetação nativa de cerca de 21 milhões de hectares, quase o tamanho total do Reino Unido, concentrado especialmente nas bordas da Amazônia, por quase toda Mata Atlântica e no sul do Cerrado.

Vamos contribuir para que o Brasil alcance o ritmo e a escala necessários para atingir a meta de 12 milhões de hectares restaurados até 2030, estabelecida pelo país no Acordo de Paris.

Da Árvore a Floresta

Entenda como o Restaura Brasil funciona, da sua doação até o monitoramento da floresta restaurada.


Técnicas de Restauração

Existem diferentes técnicas de restauração, e cada uma ajuda a solucionar um problema específico. Conheça as técnicas utilizadas pelo Restaura Brasil:

SISTEMAS AGROFLORESTAIS (SAF)

SISTEMAS AGROFLORESTAIS (SAF)

São plantios que promovem a recuperação de áreas, intercalando espécies de formação florestal com espécies agrícolas ou para fins econômicos.

ENRIQUECIMENTO

ENRIQUECIMENTO

Para áreas com pouca diversidade florestal são realizados plantios de espécies específicas dos estágios mais tardios da regeneração natural de florestas.

ADENSAMENTO

ADENSAMENTO

Para áreas em processo de recuperação natural, mas com grandes clareiras, são plantadas mudas de espécies nativas em locais específicos.

SEMEADURA DIRETA

SEMEADURA DIRETA

Em áreas com pouca regeneração natural, são misturadas sementes de espécies nativas e de adubação verde que são espalhadas manualmente ou por maquinários agrícolas.

PLANTIO TOTAL COM MUDAS

PLANTIO TOTAL COM MUDAS

Para áreas com baixa regeneração natural, é realizado o plantio de mudas de diversas espécies nativas da região, seguindo as etapas do processo de sucessão florestal.

CONDUÇÃO DA REGENERAÇÃO NATURAL

CONDUÇÃO DA REGENERAÇÃO NATURAL

Para áreas já em recuperação, é intensificado o processo com ações de manutenção do coroamento, adubação e controle de formigas e pragas.

SISTEMAS AGROSSILVIPASTORIS

SISTEMAS AGROSSILVIPASTORIS

São utilizadas espécies florestais lenhosas e de gramíneas que garantam o em estar e incremento de proteína vegetal ao animal, além da geração de renda local.

ISOLAMENTO DE DEGRADAÇÃO

ISOLAMENTO DE DEGRADAÇÃO

Para deter os fatores de degradação, são construídas cercas, implantados aceiros e criadas faixas marginais, entre outros.

RECUPERAÇÃO DO SOLO

RECUPERAÇÃO DO SOLO

Técnicas para melhorar a qualidade do solo, que podem incluir adubação verde, construção de taludes e outras formas de contenção de erosão.

Sequestro CO2

As florestas são capazes de sequestro e armazenamento de carbono atmosférico por meio de processos de fotossíntese e crescimento de árvores. O carbono é absorvido e assimilado pela folhagem da árvore e é armazenado principalmente em tecidos lenhosos, como troncos e raízes, bem como em ramos e folhagens na forma de compostos orgânicos ricos em carbono, tais como celulose e hemiceluloses, lignina, amido, lipídios e ceras.

 

A restauração de florestas em áreas desmatadas é uma forma natural e eficiente de absorção de parte do excesso no CO2 atmosférico, constituindo um mecanismo importante de compensação significativa das contínuas emissões de gases de efeito estufa.

No Restaura Brasil, os benefícios da restauração, em termos de sequestro de CO2, são contabilizados por meio da abordagem de Nível 1 (Tier 1), proposta pelo IPCC1 (sigla em Inglês do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) em 2006. Nas estimativas de CO2 total capturado por meio das atividades de restauração, são levados em conta os seguintes fatores:

  • – Crescimento médio anual da biomassa acima do solo – Gw (toneladas m.s./ha/ano), onde m.s. = massa seca
  • – Biomassa abaixo do solo, determinada pelo fator R = relação entre a biomassa abaixo do solo e a biomassa acima do solo
  • – Crescimento médio anual da biomassa total – Gtotal = Gw*(1+R) (tonelada m.s./ha/ano)
  • – Fração de carbono na biomassa – CF [toneladas de C (m.s.)-1]
  • – Aumento anual dos estoques de carbono na biomassa devido ao crescimento de áreas convertidas para terras florestais – ΔCG =A* Gtotal *CF, onde A = área restaurada
  • – Carbono total sequestrado a partir do início da restauração – Ctotal = ΔCG * Δt (duração da intervenção, em anos)
  • – Fator de conversão de C a CO2 = 44/12
  • – A eficácia da restauração foi considerada como 100%
  • – A perda inicial de carbono associada à conversão de terra foi considerada nula.

Números do Restaura Brasil

Veja os resultados de restauração da TNC até agora.

653,9

Milhões de novas árvores

8,6

Milhões de toneladas de carbono sequestrado

Linha do Tempo

DOE ÁRVORES